Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Nov.18.2018

Contextualização territorial

Área: 555,6 km2
Altitude: 700 metros
População: 51.797
Freguesias: 21
Distrito: Castelo Branco, subregião da Cova da Beira


A Covilhã é um exemplo bastante original de uma “cidade de montanha”, rara no urbanismo português, com a expressão de uma vasta tradição industrial com base nos tempos modernos e contemporâneos.

Situada na encosta da Serra da Estrela, voltada a Nascente, esta cidade, sede de concelho, localiza-se a cerca de 700 metros de altitude e é o centro urbano mais importante na zona da Serra da Estrela.

Com uma longa história e ocupação humana desde remotos tempos, a Covilhã tem na sua indústria de lanifícios uma das suas principais referências. Esta indústria iniciou-se na região ainda no tempo do rei D. Sancho I, foi desenvolvida pela comunidade judaica, tendo ganho um novo impulso em 1763 sob a ação de Marquês de Pombal que aqui fundou a Real Fábrica de Panos, tornando-se o maior centro de produção de lanifícios de todo o país.

A Covilhã é igualmente conhecida por ter sido berço de descobridores e exploradores que deram novas direções ao mundo na época dos Descobrimentos Portugueses, tendo mesmo recebido o Infante D. Henrique, o Navegador, o título de Senhor da Covilhã.

Parques, jardins, casas senhoriais e muitas Igrejas demonstram o fervor religioso da região, apresentando agradáveis e interessantes legados patrimoniais do concelho.

Foi elevada a cidade a 20 de Outubro de 1870 pelo Rei D. Luís I, por ser “uma das vilas mais importantes do reino pela sua população e riqueza”.

A gastronomia da região é riquíssima e muito afamada por todo o País, destacando-se o célebre queijo da Serra, feito de leite de ovelha, ou o pão de centeio e os enchidos caseiros, além de pratos suculentos como a tradicional sopa de feijão encarnado, o cabrito assado, o ensopado de borrego ou a truta grelhada, entre tantas outras especialidades, como o mel da Serra da Estrela.