Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Nov.18.2018
17-10-2018

HOMENAGENS E CULTURA NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DA CIDADE

A Covilhã comemora no próximo sábado, dia 20 de outubro, o 148º aniversário da elevação a cidade. A data é assinalada pela realização de duas sessões solenes no Salão Nobre dos Paços do Concelho. A primeira tem lugar às 11h00 e será a Sessão Solene da Assembleia Municipal. Pelas 15h00, chega a vez da Sessão Solene de Homenagem a Personalidades e Instituições. Nesta tradicional cerimónia a Câmara Municipal da Covilhã vai entregar a medalha de prata de mérito municipal a: Carina Franco, antiga diretora do agrupamento de escolas “A Lã e a Neve”; António Santos Pereira, docente universitário e atual diretor do Museu dos Lanifícios; ao antigo operário fabril Manuel Romano; ao empresário Carlos Geraldes; Arménio Baltasar, presidente do conselho de administração da Fundação Anita Pina Calado, no Teixoso; José Alfredo Costa, presidente do Centro de Convívio e Apoio à terceira idade do Tortosendo e, a título póstumo, será distinguido o médico Carlos Elias.
Do programa oficial das comemorações destacam-se ainda um conjunto de exposições que vão recordar ou dar a conhecer memórias e história da cidade. A Biblioteca Municipal acolhe, de 15 de outubro a 15 de novembro, uma mostra intitulada “Memórias da Covilhã Cidade” composta por alguns dos mais importantes documentos da história local, existentes no Arquivo Municipal. Na quinta-feira, dia 18 de outubro às 17h30, é inaugurada a exposição “Covilhã! A minha, a nossa cidade”. Até 15 de novembro, a Galeria António Lopes na Casa dos Magistrados apresenta uma mostra coletiva de pintura da autoria de 10 artistas da Covilhã, representativa do melhor que se faz nesta área artística neste concelho.
O antigo Museu de Arte e Cultura, junto à Praça do Município, reabre temporariamente para acolher a exposição fotográfica “Teatro Municipal”, inaugurada às 12h30 de 20 de outubro, Dia da Cidade. Trata-se da primeira oportunidade de conhecer o trabalho do conceituado fotógrafo Augusto Brázio, que registou para a posteridade pormenores da mais mítica sala de espetáculos da Covilhã, antes das obras que irão transformar o antigo Teatro Municipal no futuro Centro de Inovação Cultural.