Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Jan.20.2018
Notícias
MUNICÍPIO LANÇA PROJETO DE PRESERVAÇÃO DOS AZULEJOS DA COVILHÃ
16-01-2018

MUNICÍPIO LANÇA PROJETO DE PRESERVAÇÃO DOS AZULEJOS DA COVILHÃ

No próximo dia 20 de Janeiro, pelas 16H00, com a inauguração da exposição “Na Simplicidade do Azulejo Pombalino” de Martinha Soares, na sala de exposições temporárias do Museu de Arte Sacra, inicia-se o projeto “Património Azulejar da Covilhã”. Tendo em conta a preservação do interessante património azulejar da Cidade e do Concelho da Covilhã e a necessidade de consciencializar a comunidade local para a sua conservação, a Câmara Municipal apresenta um projecto que visa o entrosamento de diversas entidades locais, designadamente a Academia Sénior e o Atelier Formas e Cores de Terra, a Universidade da Beira Interior, bem como algumas de âmbito nacional, caso do Instituto Politécnico de Tomar e do Projecto SOS Azulejo, detentor do Grande Prémio da União Europeia para o Património Cultural - Europa Nostra 2013. A autarquia pretende assim contribuir para uma maior motivação na preservação deste tipo de património, ao mesmo tempo que se desenvolvem sentimentos de pertença graças ao papel das associações covilhanenses que irão colaborar nesta iniciativa. Será ainda possível pensar o inventário do património azulejar do Concelho, colocando a Covilhã num patamar de charneira nesta área, ao lado de outros que integram actualmente a Rota do Azulejo em Portugal. Durante todo o mês de Fevereiro as actividades continuam e contemplam palestras, visitas guiadas percorrendo a “Rota Azul e Branca”, oficinas de conservação e restauro e de criação de azulejos e uma exposição bibliográfica. De salientar a colaboração da Prof. Doutora Leonor Sá, do Museu da Policia Judiciária e Coordenadora do “Projecto SOS Azulejo” e do Dr. Ricardo Triães do Instituto Politécnico de Tomar.   O programa oficial do “Património Azulejar da Covilhã” inclui atividades a realizar em janeiro e fevereiro de 2018 e é o seguinte: Actividade: “NA SIMPLICIDADE DO AZULEJO POMBALINO” Exposição de azulejos pela artista Martinha Soares Data: 20 de Janeiro a 25 de Fevereiro 2018 Inauguração: 20 Janeiro pelas 16H00 Actividade: Intercambio Museu-Biblioteca – Mostra Bibliográfica/Mostra “A Toponímia e o Azulejo” Data: 20 de Janeiro a 25 de Fevereiro 2018 Local: Museu de Arte Sacra e Biblioteca Municipal da Covilhã Actividade: “Venha tomar café connosco” – Palestra – Oradora Dr.ª Leonor Sá do Museu da Polícia Judiciária e Coordenadora do “Projecto SOS Azulejo”. Data: 02 de Fevereiro 2018 Hora: 21H00 Local: Academia Sénior da Covilhã Actividade: “Rota azul e branca” – Visita Guiada Data: 10 de Fevereiro 2018 Hora: 10H30 Local: partida do Museu de Arte Sacra, percorrendo a Rota Azul e Branca, a qual se define pela descoberta do património azulejar da Covilhã. Actividade: Oficina de Restauro e Conservação de Azulejos ministrada pelo técnico do Instituto Politécnico de Tomar, Dr. Ricardo Triães Data: 22 de Fevereiro 2018 Hora: 10H00 – 18H00 Local: Instalações do Atelier Formas e Cores de Terra - CAC – Condomínio do Associativismo da Covilhã Actividade: Oficina do Azulejo (pintura e vidramento) pelo Atelier Formas e Cores de Terra Data: 27 de Fevereiro 2018 Hora: 10H00 – 18H00 Local: Instalações do Atelier Formas e Cores de Terra - CAC – Condomínio do Associativismo da Covilhã  
VÍTOR PEREIRA CONFIANTE NUMA SOLUÇÃO PARA OS TRABALHADORES DOS LANIFÍCIOS
16-01-2018

VÍTOR PEREIRA CONFIANTE NUMA SOLUÇÃO PARA OS TRABALHADORES DOS LANIFÍCIOS

O Presidente da Câmara da Covilhã reuniu no passado dia 9 de janeiro com a Secretária de Estado da Saúde, Rosa Matos Zorrinho, para analisar a problemática sobre a comparticipação de medicamentos aos trabalhadores da Industria dos Lanifícios da região da beira interior. Vítor Pereira, que esteve acompanhado nesta visita pelo Presidente da Assembleia Municipal João Casteleiro, afirmou ter sido uma “longa e profícua conversa sobre variados assuntos que dizem respeito à Saúde no concelho da Covilhã, sendo que o tema prioritário foi a problemática dos medicamentos. “Fizemos ver à Secretária de Estado que esta é uma aspiração legítima, uma vez que os trabalhadores descontaram mais ao longo da sua vida ativa para agora poderem ter acesso à comparticipação”, relatou o autarca.  Ficou acordado que a equipa da Secretaria de Estado fará uma avaliação, num prazo de 3 a 4 semanas, do impacto da aplicação da portaria que entrou em vigor a 1 de janeiro de 2017, no sentido de resolver a questão. Vítor Pereira sublinha que está “confiante” num desfecho positivo que tenha em conta os direitos adquiridos destes utentes. “Tem de ser feita justiça aos reformados dos lanifícios”.  Em causa está a reivindicação dos trabalhadores relativamente à comparticipação dos medicamentos a 100%. Este regime específico aplica-se aos pensionistas que tenham deduzido para o Fundo Especial de Segurança Social do pessoal da Indústria de Lanifícios. Esta situação tem merecido a atenção do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Têxtil da Beira Baixa que, através de várias iniciativas, tem procurado garantir o respeito por estes direitos.  
COVILHÃ REPUDIA EXPLORAÇÃO MINEIRA DA ARGEMELA NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
11-01-2018

COVILHÃ REPUDIA EXPLORAÇÃO MINEIRA DA ARGEMELA NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Decorreu ontem, na Assembleia da República, a audiência da Comissão Parlamentar do Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação onde foi abordada a concessão da exploração mineira da Serra da Argemela, no concelho da Covilhã. Estiveram presentes os Presidentes das Câmaras Municipais da Covilhã e do Fundão, da União de Freguesias Barco e Coutada, das Juntas de Freguesia de Silvares, Lavacolhos, e a Professora Maria do Carmo Mendes, primeira subscritora da petição que solicita a adoção de medidas com vista à preservação da serra da Argemela, contra a extração mineira. A posição dos autarcas foi clara: repúdio total da atribuição de licença de exploração mineira na Argemela.  De recordar que, reunida em sessão ordinária, no dia 3 de março de 2017, a Câmara Municipal da Covilhã aprovou, por unanimidade, uma Moção de Protesto, com efeitos de reclamação no âmbito do processo de requerimento da empresa PANNN, Consultores de Geociências, lda., para celebração do contrato de concessão de exploração de depósitos minerais na Argemela, área deste concelho na União de Freguesias de Barco e Coutada. Vítor Pereira, Presidente do Município da Covilhã, afirmou perante a Comissão a necessidade de “sopesar as vantagens de natureza económica, social e as implicações no que diz respeito aos dados colaterais de uma exploração mineira. Estamos a falar de uma exploração a céu aberto, em socalcos, com recurso a explosivos e processamento de minerais com substancias tóxicas”. Para o autarca são reais as preocupações quanto à contaminação dos lençóis freáticos, dos cursos de água e dos solos agrícolas. Vítor Pereira frisa mesmo que o Rio Zêzere, situado na proximidade da área a concessionar, “vai desembocar à Barragem de Castelo de Bode, que como todos sabem, abastece Lisboa”.  “Lutamos por mais investimento na nossa região, mas não é sedutora uma exploração desta natureza. Empregos sim, mas não a qualquer custo. Temos o direito de preservar a nossa paisagem e propiciar saúde e felicidade às nossas populações. Trocar uma montanha verdejante por uns quilos de minério? Não, obrigado”, concluiu o autarca da Covilhã.
COVILHÃ É A NOVA POTÊNCIA TURÍSTICA DO INTERIOR
09-01-2018

COVILHÃ É A NOVA POTÊNCIA TURÍSTICA DO INTERIOR

A Covilhã reforça liderança na captação de turistas no Interior. Novos dados, recentemente divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), revelam que em 2016 o concelho da Covilhã registou 154 520 hóspedes e 264 280 dormidas, representando um aumento de 20% e 23% respetivamente, face aos valores conhecidos em 2015. Este desempenho coloca a “cidade-neve” numa posição destacada face a cidades como Castelo Branco, Guarda e Fundão, que em conjunto registaram 154 133 hóspedes e 231 231 dormidas. Verifica-se que a Covilhã suplanta os valores agregados destas cidades vizinhas da Beira Interior. A performance positiva deste concelho está bem patente nestes dois factos: apresenta o dobro do número de dormidas registadas pela CIM da Beira Baixa (130 997) e é, a seguir a Évora, o município não localizado no litoral do País que mais turistas atrai. O principal mercado emissor de turistas é o interno, 134 623 hóspedes (+19,8%), valor que posiciona a Covilhã em 14º lugar do Ranking Nacional (em 308 municípios), no que diz respeito à captação de turistas residentes em Portugal, à frente de municípios como Cascais, Figueira da Foz, Vila Real de Santo António, Sintra e Setúbal. Os mercados externos proporcionaram 19 897 hóspedes (+26%), com Espanha a liderar a procura, seguindo-se o continente americano com um assinalável aumento de 40,5%. Os proveitos totais dos estabelecimentos hoteleiros, ou seja, os proveitos tendo em consideração as dormidas, refeições e outros serviços prestados por estas unidades, ascenderam a 13 473 milhões de euros (+34%). Estamos perante uma evolução marcadamente positiva, que coloca a Covilhã destacadamente no topo da tabela dos restantes municípios da CIM das Beiras e Serra da Estrela. Para Vítor Pereira, Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, “este desempenho é a afirmação da capacidade de atração das unidades hoteleiras do concelho e da consolidação da marca Covilhã como referência incontornável no turismo nacional e internacional. São indiscutivelmente boas notícias e demonstram que estamos no bom caminho”. O autarca chama a atenção para o facto de o concelho ter “um potencial incomensurável, com muito para explorar e dinamizar”, mostrando-se, por isso, optimista quanto ao crescimento futuro do setor turístico na Covilhã.