Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Abr.16.2021
Notícias
INAUGURADA CABINE DE LEITURA NA PRAÇA DO MUNICÍPIO
15-04-2021

INAUGURADA CABINE DE LEITURA NA PRAÇA DO MUNICÍPIO

Hoje, dia 14 de abril, foi inaugurada a primeira Cabine de Leitura na Covilhã, na sequência de uma parceria entre a Câmara Municipal da Covilhã e a Altice Portugal, através da Fundação Altice. A cerimónia de inauguração na Praça do Município contou com a presença do Presidente do Município, Vítor Pereira, acompanhado pelos Vereadores José Armando Serra dos Reis e Regina Gouveia, do Presidente da Altice Portugal, Alexandre Fonseca e da Diretora da Fundação Altice, Ana Estelita. Vítor Pereira aproveitou a ocasião para agradecer à Fundação Altice e à Altice Portugal por esta parceria. O autarca afirmou que “tem sido e continuará a ser uma prioridade do Município a mobilização dos nossos concidadãos para a leitura, fundamental para o enriquecimento cultural e para uma melhor cidadania”. O Presidente da Câmara deixou um apelo: “esta minibiblioteca comunitária é de todos, por isso, espero que todos a saibam cuidar e respeitar, para que todos possam usufruir do prazer da leitura”. O Presidente da Altice Portugal, manifestou ser “uma honra estar novamente na fantástica Covilhã, onde sempre somos tão bem recebidos. A Altice é uma empresa tecnológica, mas aposta também na dinamização cultural e na promoção dos hábitos de leitura, como o prova este projeto das cabines de leitura. Estou certo de que os covilhanenses vão usufruir desta estrutura, cumprindo o seu lema: levar, doar, ler e devolver”. Recordamos que este projeto visa a reabilitação das antigas cabines telefónicas, que passam a ser uma micro biblioteca de rua. Tendo como mote "Levar, doar, ler e devolver", os covilhanenses terão à sua disposição títulos tão diversos como romances, policiais, livros de literatura infantil e juvenil, culinária ou biografias, entre outros, pertencentes à coleção da Biblioteca Municipal da Covilhã. Um dos principais objetivos desta iniciativa passa por estimular a cidadania ativa e participativa, através da promoção das literacias, do livro e do prazer da leitura. Quem lê, sabe mais e decide melhor!  
14,8 MILHÕES PARA “ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO DA COVILHÔ
29-03-2021

14,8 MILHÕES PARA “ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO DA COVILHÔ

A Câmara Municipal aprovou hoje, em reunião ordinária pública do executivo, a Estratégia Local de Habitação da Covilhã (ELHC). Com um investimento global de 14,8 milhões de euros, um variado conjunto de programas e candidaturas, 6 anos previstos para a sua implementação, esta Estratégia permite aplicar no Concelho da Covilhã uma nova geração de políticas sociais no âmbito da habitação.  Vítor Pereira, Presidente do Município, destaca a grande importância da ELHC, que será colocada em prática “com a ambição e pretensão de resolver os problemas habitacionais do Concelho da Covilhã”. Para o autarca, “esta iniciativa vai melhorar e dar maior expressão ao nosso parque habitacional social, permitindo ainda alargar a sua intervenção noutros segmentos”.  A ELHC, enquanto instrumento estratégico em matéria de política de habitação à escala local, pretende oferecer uma resposta integrada e partilhada aos problemas habitacionais da Covilhã. Visa resolver situações de maior carência habitacional e, adicionalmente, potenciar dinâmicas de reabilitação urbana, com uma maior regulação do mercado de habitação. Os objetivos finais passam pela melhoria da qualidade de vida da população, pelo reforço da coesão social e territorial, pela promoção da reabilitação urbana e do arrendamento. A Nova Geração de Políticas de Habitação (NGPH), aprovada pelo Governo em 2018, assume a dupla missão de garantir o acesso universal a uma habitação adequada, através de um alargamento do âmbito de beneficiários e da oferta do parque habitacional com apoio público, e, simultaneamente, de criar as condições necessárias para privilegiar a reabilitação urbana e do edificado na promoção das políticas públicas de habitação. Estamos perante uma nova abordagem que coloca o foco nas pessoas (e não nas habitações) e na qualidade do habitat.  É neste contexto que surge o “1.º Direito” – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, instrumento para dar resposta às pessoas que vivem em situação de grave carência habitacional. A Estratégia Local de Habitação é, por sua vez, o instrumento de planeamento de iniciativa municipal que resulta do programa “1.º Direito”. Como tal, encontra-se especialmente direcionada para apoiar as famílias que vivem em condições habitacionais indignas e que não dispõem de capacidade financeira para suportar o custo de acesso a uma habitação adequada.  Com origem no programa “1.º Direito”, a ELHC inclui um diagnóstico das necessidades habitacionais do Concelho, um levantamento do património habitacional do Município e um conjunto de medidas a realizar. Nesse processo, foram identificadas 221 famílias em situação de carência habitacional, sendo 183 elegíveis para apoio do “1.º Direito”. As famílias que são proprietárias apresentarão candidaturas individuais para a reabilitação das habitações em condições de insalubridade, enquanto nas restantes situações deverá ser a autarquia a encontrar soluções. O levantamento do património habitacional revelou que a Câmara da Covilhã é proprietária de 690 fogos de habitação social, 646 atualmente ocupados e 44 livres (14 prontos a habitar e 30 a necessitarem de obras). Foram ainda identificados 8 imóveis municipais devolutos que têm uma função habitacional, 11 que podem ser adaptados para residência e mais 6 que são propriedade de entidades parceiras ou Juntas de Freguesia. Quanto às medidas a realizar, destaque para a reabilitação dos imóveis do parque habitacional da Câmara (recorrendo ao financiamento do programa “1º Direito”); para a criação de mais 32 fogos, através da sua reabilitação; uma componente de apoio às famílias com carência habitacional e aos mais idosos; a criação de uma Bolsa Municipal de Arrendamento Acessível com 72 fogos, dirigidos quer para a população residente com rendimentos intermédios, quer para a população estudantil, que tem grande peso no Concelho.  A Câmara Municipal da Covilhã vai criar um gabinete dedicado à implementação e monitorização da ELHC, prestando informação e acompanhamento dos beneficiários. Em síntese, a Estratégia Local de Habitação da Covilhã tem 3 prioridades estratégicas: Apoiar, para garantir uma resposta habitacional digna para as famílias em situação mais extrema de carência; Atrair, para promover mecanismos de facilitação de acesso à habitação, de incentivo geral à revitalização urbana e ao fomento da atratividade residencial; Habitar, para garantir o cumprimento dos objetivos e potenciar dinâmicas complementares que favoreçam a sua implementação.
MUNICÍPIO DA COVILHÃ SENSIBILIZA CRIANÇAS PARA A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES E DOS LIVROS
23-03-2021

MUNICÍPIO DA COVILHÃ SENSIBILIZA CRIANÇAS PARA A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES E DOS LIVROS

A Câmara Municipal da Covilhã, através da Biblioteca Municipal e do Projeto EU SOU +, leva a cabo um conjunto de iniciativas comemorativas do Dia Mundial da Árvore (21 de março) e do Dia Internacional do Livro Infantil (2 de abril), direcionadas aos mais jovens. O Município procura sensibilizar as crianças covilhanenses para a importância das árvores e dos livros nas nossas vidas. No contexto do Dia Mundial da Árvore, realiza-se uma ação coletiva de plantação de árvores nos recintos escolares ou em espaços públicos das freguesias/união de freguesias em que se localizam os estabelecimentos escolares, por parte dos alunos e com o acompanhamento dos responsáveis pedagógicos. Para o efeito, entre os dias 19 (sexta-feira) e 22 (segunda-feira), a Autarquia entrega pequenos carvalhos (1 árvore por grupo/turma), diretamente nos estabelecimentos escolares do ensino pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico participantes na iniciativa. Com esta atividade pretende-se envolver as crianças numa atividade prática que constitui um contributo para a melhoria da sustentabilidade do planeta e cujo desenvolvimento podem acompanhar e cuidar, ao longo do percurso escolar. Integrado ainda nesta efeméride, o Município lança o desafio aos alunos dos vários ciclos de ensino, bem como às respetivas famílias, na semana de 22 a 26 de março, a participar na dinâmica virtual de descoberta das árvores que nos rodeiam. Concretamente, em cada dia dessa semana serão divulgadas, a partir da página de Facebook da Biblioteca Municipal da Covilhã, imagens de exemplares de árvores, acompanhadas de uma breve descrição, para testar ou elevar os conhecimentos sobre as árvores que compõem a nossa floresta. Para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil, entre os dias 22 e 26 de março, o Município da Covilhã envolve as crianças que frequentam o ensino pré-escolar e o primeiro ciclo do ensino básico numa sessão especial da Hora do Conto “O País da Árvontade”, de Lourdes Custódio, dinamizada pela Biblioteca Municipal, em formato à distância, via plataforma zoom. Trata-se de um avental de histórias que conta a aventura de Pedro, que acorda num país diferente, Árvontade. Aqui, basta desejar algo para que uma árvore dê como fruto o desejo dessa pessoa, mas com uma condição: os frutos devem ser partilhados para que a árvore continue a existir. E quanto mais o fruto é partilhado pelos habitantes desse país, mais cresce a árvore e mais frutos dá. No final, será feito um pedido muito especial às crianças! As/os interessadas/os em participar nesta iniciativa deverão propor data e horário através do seguinte email: biblioteca@cm-covilha.pt.
2º FÓRUM DO ASSOCIATIVISMO FOI UM SUCESSO
17-03-2021

2º FÓRUM DO ASSOCIATIVISMO FOI UM SUCESSO

A Câmara Municipal da Covilhã organizou o 2º Fórum Associativismo, no passado sábado, dia 13 de março, a partir do Salão Nobre dos Paços do Concelho. Devido aos constrangimentos provocados pela atual situação pandémica, o evento realizou-se em formato online, com transmissão direta em streaming nas páginas de Facebook e Youtube do Município da Covilhã. O Fórum teve como principais objetivos promover a reflexão e o debate sobre a implementação do Regulamento de Apoio ao Associativismo e apresentar a Plataforma do Associativismo. As intervenções dos dirigentes associativos que participaram neste 2º Fórum pautaram-se pela apresentação de problemas, ideias e soluções para as coletividades, sendo praticamente unânimes os elogios a esta iniciativa, ao Regulamento de Apoio e à atuação do Município na área do associativismo. O Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira, abriu os trabalhos, agradecendo a todos os homens e mulheres que representam o movimento associativo, “importante pilar da vida do Concelho da Covilhã, agregador de vontades e dinamizador de múltiplas atividades culturais, recreativas e desportivas”. Devido à situação pandémica, a atividade das coletividades foi drasticamente reduzida, o que levou o autarca a garantir que “as associações contarão integralmente com a verba que lhes foi concedida nas candidaturas para o ano de 2021, na linha de apoio à atividade regular”, apesar de não lhes ser possível cumprir os planos de atividade. Vítor Pereira afirmou ainda que a nova Plataforma do Associativismo será “uma ferramenta de extrema importância” no reforço do “triângulo de ligação e apoio” entre as Associações, o Município e os Munícipes. “É mais um passo que damos em conjunto. Porque foi sempre em profunda ligação que trilhámos o presente, na construção de um melhor futuro”, concluiu o autarca. Após intervenções online do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo e do Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, Augusto Flor, que saudaram a realização desta iniciativa, coube a Francisco Mota, do Gabinete de Apoio ao Associativismo, apresentar a análise e o balanço da implementação do Regulamento de Apoio ao Associativismo. Nestes três anos (2019, 2020 e 2021) foram apresentadas 260 candidaturas à linha de apoio “Atividade Regular”, 137 candidaturas à linda de apoio “Investimento e aquisição de equipamentos” e 61 candidaturas à linha de apoio à “Atividade Pontual de caráter supraconcelhia”. Destaque para a elevada taxa de execução das candidaturas, acima dos 90% em 2019 (nas três linhas de apoio: Atividade Regular, Investimento e Aquisição de Equipamentos e Atividade Pontual Supraconcelhia) e até início de março, as candidaturas relativas a 2020 já superavam os 70% de execução. No âmbito da implementação do Regulamento de Apoio ao Associativismo, as verbas a atribuir às associações totalizaram um montante de 925.000 Euros. Seguiu-se a apresentação da Plataforma do Associativismo, portal eletrónico direcionado especificamente para o movimento associativo, que se traduzirá numa ferramenta muito relevante para a divulgação de atividades e partilha de informação, ligando Associações, Câmara Municipal e Munícipes. A Plataforma estará online e disponível para os Munícipes no dia 31 de maio (Dia Nacional das Coletividades). Para José Miguel Oliveira, Vereador com o pelouro do Associativismo, “a Plataforma será uma ferramenta que vai marcar um novo paradigma no nosso movimento associativo”. Concluindo os trabalhos deste 2º Fórum Associativo da Covilhã, o Vereador agradeceu a participação dos dirigentes e reafirmou a disponibilidade da Autarquia para trabalharem “todos em conjunto por um objetivo comum: o Associativismo da Covilhã”.  
MUNICÍPIO DA COVILHÃ PASSA A GERIR PAVILHÃO DESPORTIVO INATEL
10-03-2021

MUNICÍPIO DA COVILHÃ PASSA A GERIR PAVILHÃO DESPORTIVO INATEL

A Câmara Municipal da Covilhã aprovou, na reunião privada do passado dia 05 de março, a minuta do protocolo de colaboração que estabelece a cedência do Pavilhão da Fundação INATEL ao Município. A cedência será pelo período de 15 anos, renovável automaticamente por períodos idênticos, estando previsto o pagamento de uma comparticipação mensal à Fundação de 1.661 euros.  Para requalificar o Pavilhão, serão realizadas obras orçadas em cerca de 200 mil euros, comparticipadas em partes iguais pelas duas instituições. A intervenção inclui todo o edifício, com destaque para o piso, a cobertura, os sanitários, a enfermaria ou a zona envolvente. Para Vítor Pereira, Presidente da Autarquia, “cumpre-se assim uma antiga aspiração dos Covilhanenses, colmatando uma lacuna existente na cidade da Covilhã”. O autarca espera que “a filosofia que norteia a Fundação INATEL” e uma negociação justa a realizar na altura, permita a cedência definitiva do pavilhão ao Município, após o primeiro período de 15 anos agora protocolado. Vítor Pereira considera que estamos perante um “primeiro passo muito importante” nesse sentido. “Finalmente chegámos a bom porto. Conseguimos que o Pavilhão nos fosse cedido, com um bom acordo. A Câmara Municipal passa a dispor de uma infraestrutura, no núcleo urbano do Concelho, que pode colocar à disposição das associações, clubes, atletas, cidadãos para eventos de natureza desportiva, cultural ou recreativa”, concluiu o Presidente do Município.
RICHARD ZIMLER NO CAFÉ LITERÁRIO DA COVILHÃ
09-03-2021

RICHARD ZIMLER NO CAFÉ LITERÁRIO DA COVILHÃ

A Câmara Municipal da Covilhã realiza, no próximo dia 18 de março, pelas 10h00 em formato online, o Café Literário para Miúdos e Graúdos, desta vez com a participação do conceituado escritor Richard Zimler. A tertúlia será mais uma vez transmitida no canal de Youtube e na página de Facebook da Biblioteca Municipal da Covilhã e terá como moderador Tito Couto. Os destinatários principais desta iniciativa são os alunos do ensino secundário, pais e encarregados de educação, bem como todos os leitores e interessados na obra de Richard Zimler. A sessão contará ainda com um momento em que o autor irá responder a questões colocadas por quem assistir ao Café Literário. Quando a situação pandémica o permitir, será possível retomar o formato presencial do Café Literário. Para já, o Município da Covilhã continuará a apostar na transmissão online deste já tradicional evento cultural que divulga os grandes autores da literatura atual e promove o contacto entre os leitores da Covilhã e estes escritores de referência. Richard Zimler nasceu em 1956, em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova Iorque. O romancista fez um bacharelato em religião comparada na Duke University (1977) e um mestrado em jornalismo na Stanford University (1982). Trabalhou como jornalista durante oito anos na região de S. Francisco. Em 1990, foi residir para o Porto, onde foi professor de jornalismo durante 16 anos, primeiro na Escola Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto. Já proferiu mais de 500 conferências sobre a sua escrita e a cultura judaica, em escolas, museus, bibliotecas, livrarias, sinagogas e auditórios públicos em mais do que 15 países. Nos últimos 23 anos, publicou 11 romances, uma coletânea de contos e cinco livros infantis, que rapidamente entraram nas listas de bestsellers de vários países. Os seus livros editados em Portugal, por ordem cronológica, são: “O Último Cabalista de Lisboa”, “Trevas de Luz”, “Meia-Noite ou o Princípio do Mundo”, “Goa ou o Guardião da Aurora”, “À Procura de Sana”, “A Sétima Porta”, a coletânea de contos “Confundir a Cidade com o Mar”,  “Dança Quando Chegares ao fim”, “Os Anagramas de Varsóvia”, “Ilha Teresa”,  “Hugo e Eu e as Mangas de Marte”, “A Sentinela”, “Se Eu Fosse”, “O Evangelho Segundo Lázaro”, “O Cão Que Comia a Chuva”, “Maria e Danilo e o Mágico Perdido” e “Os Dez Espelhos de Benjamin Zarco”. Autor de referência na literatura, tem diversas obras no Plano Nacional de Leitura e já recebeu diversos prémios pelo seu trabalho, incluindo o National Endowment of the Arts Fellowship in Fiction (EUA) em 1994; o  Prémio Herodotus (EUA) para o melhor romance histórico em 1998; o prémio literário Alberto Benveniste de ficção 2009 pela obra “Goa ou o Guardião da Aurora”;  “Os Anagramas de Varsóvia” foi nomeado o Melhor Livro de 2009 pela revista LER e pelos alunos das escolas secundárias de Portugal (Prémio Marquês de Ouro); “O Evangelho Segundo Lázaro” foi nomeado um dos melhores romances do ano pelas livrarias FNAC e Bertrand. Richard Zimler também já organizou uma antologia de contos para beneficiar a associação Save the Children e os seus programas e no caso de Portugal, para beneficiar os programas nos PALOP.  Em 2009, Zimler escreveu o guião para “O Espelho Lento”, curta-metragem baseada num dos seus contos, da realizadora sueca-portuguesa Solveig Nordlund e venceu o prémio de melhor filme dramático no Festival de Curtas-Metragens de Nova Iorque em maio de 2010. Richard Zimler tem a sua obra traduzida em 23 línguas.