Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Ago.10.2022
Notícias
O MUSEU DA COVILHÃ COMEMORA HOJE, DIA TRÊS DE AGOSTO, UM ANO DE ABERTURA AO PÚBLICO.
03-08-2022

O MUSEU DA COVILHÃ COMEMORA HOJE, DIA TRÊS DE AGOSTO, UM ANO DE ABERTURA AO PÚBLICO.

Durante este período, o espaço cultural foi distinguido como “Melhor Museu do Ano”, o mais alto galardão da APOM - Associação Portuguesa de Museologia. O troféu, que pode ser apreciado no Museu da Covilhã, foi desenhado pelo artista plástico Fernando Quintas, e representa o Conhecimento, a Arte, a Arquitetura e a singularidade das realizações humanas, tendo sido desenvolvido em vidro float, pedra talhada e azulejos do século XVIII. Teve como referência criativa a escultura Biblioteca Specularis, concebida para a exposição "Within Light/Inside Glass, an intersection between Art and Science" (Veneza, 2015). Fazendo um balanço deste ano, o Museu da Covilhã recebeu um total de 6.654 visitantes. Do total de 67 visitas guiadas, o espaço acolheu 31 visitas de escolas, que contemplaram um conjunto de 870 crianças e adolescentes. Além da portuguesa, o Museu foi visitado por pessoas de 24 nacionalidades distintas, oriundas de Espanha, Brasil, Holanda, Nepal, Itália, Colômbia, China, Índia, Ucrânia, Israel, Suíça, Escócia, Roménia, Turquia, Inglaterra, França, Alemanha, Síria, USA, Austrália, Polónia, Costa-Rica, Cuba e Venezuela. Recebeu mais de 60 participantes nas duas Tertúlias “MC2: Movimentos Culturais Coletivos” subordinadas às temáticas “Museu Inclusivo, Percurso Imersivo” e “O Poder dos Museus”. O MUSEU DA COVILHÃ: Localizado no centro da cidade, o Museu da Covilhã consubstancia um serviço municipal gratuito e acessível a todos os públicos. Instalado num edifício projetado por Ernesto Korrodi no princípio do século XX, o Museu aborda cronologicamente as diferentes épocas de ocupação do território do concelho, seja através da implementação de tecnologia inovadora no percurso museológico, de textos, mobiliário e materiais acessíveis, ou de formas expositivas multimédia, imersivas e multissensoriais.  É um espaço público, gratuito e central, com um projeto museográfico que contemplou critérios de acessibilidade, permitindo aos diferentes públicos usufruir dos conteúdos apresentados, independentemente das suas limitações. Encontra-se aberto de terça-feira a domingo, nos períodos 10:00-13:00 e 14:00-18:00.
COMUNICADO- PROTEÇÃO CIVIL DA COVILHÃ
12-07-2022

COMUNICADO- PROTEÇÃO CIVIL DA COVILHÃ

O Gabinete de Proteção Civil informa: 1 - Atendendo à Declaração da situação de contingência entre as 00h00 de 11 de julho de 2022 e às 23h59 de 15 de julho de 2022, para todo o território continental. Sem prejuízo de outras restrições ou condicionamentos previstos no Decreto-Lei n.°82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, determina-se a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional: a)    Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no n.°2 do artigo 68.° do Decreto- Lei n.° 82/2021, de 3 de outubro, na sua redação atual, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional;       b)    Proibição da realização de queimadas e de queixas de sobrantes de exploração; c)    Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais; Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motor roçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal; d)    Proibição da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas. 2 - A proibição prevista nas alíneas c) e d) do número anterior não abrange: a)    Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao b)    tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas aagrícolas, desde que as mesmas sejam de carater essencial e inadiável  se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição; c)    A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura; d)    0s trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural. 2    - 0 Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Dr. Vitor Pereira, ativou no imediato o Plano Municipal de emergência e Proteção Civil da Covilhã, mantendo- se, este, ativo até às 23.59 do dia 15 de julho; 3    - A Comissão Municipal de Proteção Civil (CMPC) da Covilhã reuniu extraordinariamente tendo todos os agentes de proteção civil do Concelho aumentado o seu grau de prontidão face à atual situação de risco de incêndio rural.    
CRISTINA RODO - VENCEDORA DO PRÉMIO FIBER ART NOW 2020, EXPÕE NA COVILHÃ
28-06-2022

CRISTINA RODO - VENCEDORA DO PRÉMIO FIBER ART NOW 2020, EXPÕE NA COVILHÃ

A artista portuguesa Cristina Rodo, vencedora do prémio Fiber Art Now 2020, na categoria de Artista Emergente, escolheu a cidade da Covilhã para apresentar a exposição “Arte Com Fibra”. Trata-se de uma mostra de peças únicas e originais que Cristina Rodo desenvolveu ao longo do seu percurso artístico, a qual engloba quadros e esculturas, na sua maioria produzidos através da feltragem molhada - método que utiliza quase em exclusividade há vários anos, e que complementa com pedras, madeira, ferro enferrujado, papel e luz.  A cerimónia de inauguração terá lugar na próxima quinta-feira, dia 30 de junho, pelas 17h30, na Galeria António Lopes. Cristina Rodo é uma artista portuguesa, nascida e criada em Lisboa. Apesar de uma formação artística em fotografia - ARCO (Lisboa, 1987) e em moda e desenho têxtil no IADE (Lisboa, 1993), trabalhou em frente ao computador a maior parte da sua vida. Em meados de 2017 a "arte da fibra" chamou a sua atenção e começou a experimentar todo o tipo de técnicas como croché, tricô, tecelagem e frioleiras para criar peças de arte. Finalmente, foi pela feltragem molhada que se apaixonou. O incrível potencial e versatilidade da técnica, a estimulante experiência sensorial e o deleite tátil do médium preenchem-na completamente. Pensando sempre fora da caixa, cria quadros e peças escultóricas que gosta de complementar com pedras, madeira, ferro enferrujado, papel e luz. Realizou várias formações, destacando Fibre+Paper com Fiona Duthie (2022) e com Pam de Groot (2020) e o Workshop com Elena Talikova (2019). Participou em várias exposições individuais: Start with Art (Manique, 2022); Dancing in the rain e Lã & Luz (Quinta dos Caniços – Tires, 2021 e 2019); 5 Sentidos (Carvalhal/Comporta, 2018); Galeria 36 (Lisboa, 2018). A título coletivo participou em: Covid19- IMMEMORY exposição online (2022); MuTE - Museu Têxtil (2022); Greve Museum/Dinamarca – Exposição Covid design (2020); MASK Vicki Mihren Gallery/Denver - Exposição de máscaras de Covid (2020) e colaborou na exposição "Agaves, a arte ao encontro da natureza" - Galeria 36 (Lisboa, 2019). Em 2020 foi selecionada como Artista Emergente 2020 pela Fiber Art Now. A exposição estará patente ao público até ao dia 28 de agosto de 2022, podendo ser visitada gratuitamente de terça a domingo, das 10h00às 13h00 e das 14h00 às 18h00, na Galeria António Lopes, na rua Portas do Sol, no centro histórico da cidade.   
MUSEU DA COVILHÃ RECEBE PRÉMIO LINGUAGEM CLARA 2022
24-06-2022

MUSEU DA COVILHÃ RECEBE PRÉMIO LINGUAGEM CLARA 2022

O Museu da Covilhã, foi novamente distinguido, desta vez com o Prémio Linguagem Clara 2022, no âmbito dos Prémios Acesso Cultura. A cerimónia de entrega dos prémios decorreu ontem dia 22 de junho e o Museu da Covilhã foi um dos distinguidos com o prémio Linguagem Clara 2022, pelo texto “O Tesouro da Borralheira”, que integra um dos painéis da exposição permanente. Durante a cerimónia, que decorreu na Casa Fernando Pessoa o júri responsável pela atribuição do Prémio, constituído por Ana Lúcia Mena, Margarida Ferra e Thursday Edral, apresentou publicamente a justificação (https://acessocultura.org/plc2022-texto-justificacao/), louvando a opção de utilização de frases curtas e de uma linguagem simples, com palavras que a maioria das pessoas conhece, indicando ainda ter ficado “com vontade de visitar um museu que fala assim, de modo tão cativante, das peças que são mostradas noutro lugar”. O texto premiado é da autoria da empresa covilhanense Formas Efémeras, responsável pelo projeto museológico e museográfico do Museu da Covilhã. A sala dedicada à descoberta do Tesouro da Borralheira exibe o painel distinguido pela Acesso Cultura e o filme premiado recentemente pela APOM, com uma Menção Honrosa na categoria de "Filme". A Associação Cultural Acesso Cultura promove o acesso – físico, social e intelectual – à participação cultural de todos os cidadãos e atribui, anualmente, os Prémios Acesso Cultura e o Prémio Linguagem Clara. De acordo com Helena Barranha, Presidente da Acesso Cultura, foram recebidas cerca de 270 candidaturas ao longo das oito edições dos Prémios (criados em 2014), apresentadas por organizações públicas e privadas, cooperativas, associações e autores individuais, provenientes de diversos pontos de Portugal continental e ilhas.