Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Jun.24.2022
Notícias
 MUSEU DA COVILHÃ ELEITO O MELHOR MUSEU DO ANO
31-05-2022

 MUSEU DA COVILHÃ ELEITO O MELHOR MUSEU DO ANO

O Museu da Covilhã foi distinguido no dia 27 de maio, pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), como Melhor Museu do Ano. Este galardão, que é uma das principais distinções atribuídas a museus nacionais, foi anunciado na cerimónia que decorreu no auditório da Academia Militar, na Amadora, e recebido pelo Presidente do Município da Covilhã, Vítor Pereira, com a Vereadora da Cultura, Regina Gouveia, a Chefe da Divisão de Cultura, Patrícia Pinto, e a Coordenadora do Museu da Covilhã,  Sandra Ferreira. Segundo João Neto, presidente da APOM, o Museu da Covilhã destacou-se, de entre os restantes candidatos, pelo exemplo que representa ao nível da inclusão de públicos com limitações a vários níveis, pela qualidade do seu projeto e pela priorização de questões relacionadas com a acessibilidade dos seus espaços e conteúdos expositivos.  Estas foram as vertentes diferenciadoras para a atribuição do prémio máximo da APOM, que ainda distinguiu o Museu da Covilhã com as Menções Honrosas nas categorias de “Filme” e de "Informação Turística”. Financiado pelo Turismo de Portugal no âmbito do Turismo Acessível – programa Valorizar, este projeto museológico insere-se na estratégia municipal "Covilhã - a tecer a acessibilidade", tendo sido concebido e coordenado pela empresa covilhanense Formas Efémeras, envolvendo na sua execução outras entidades locais como a Lobby, a Tecnat e a Wdretail. Também Elisa Calado Pinheiro recebeu uma honrosa distinção durante o mesmo evento. A fundadora do Museu de Lanifícios da Covilhã foi homenageada com o galardão de Mérito Profissional na área da Museologia, prémio atribuído a personalidades que se destacam “pela sua ação extraordinária durante o percurso de vida profissional”, com contributos decisivos na investigação, inovação e desenvolvimento de atividades que promovam a museologia, as coleções, a preservação e divulgação do património cultural. Durante a cerimónia, foram apresentados os premiados das 32 categorias, às quais concorreram cerca de 270 projetos, que distinguem várias áreas atribuídas a museus, projetos, boas práticas, profissionais e diversas atividades desenvolvidas no setor, em todo o país, além de outros domínios como melhor exposição, melhor filme, melhor fotografia, inovação e criatividade, informação turística, entre outros. O encerramento e a entrega do principal troféu da APOM, desenhado pelo artista plástico Fernando Quintas, foram acompanhados por uma mensagem especial do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em que felicitou o Museu da Covilhã. Agradecendo o reconhecimento da APOM, Vítor Pereira destacou “a importância do novo Museu da Covilhã na restituição de espólio histórico da cidade e do concelho aos covilhanenses, bem como na apresentação do território a turistas, através de uma narrativa diacrónica e inclusiva, acreditando que "o prémio agora recebido irá aumentar ainda mais o elevado interesse que tem merecido desde a sua abertura".  Localizado no centro da cidade, o Museu da Covilhã abriu ao público em agosto de 2021. Instalado num edifício projetado por Ernesto Korrodi no princípio do século XX, o Museu aborda cronologicamente as diferentes épocas de ocupação do território do concelho, seja através da implementação de tecnologia inovadora no percurso museológico, de textos, mobiliário e materiais acessíveis, ou de formas expositivas multimédia, imersivas e multissensoriais. É um espaço público, gratuito e central, cujo projeto museográfico contemplou critérios de acessibilidade, permitindo aos diferentes públicos usufruir dos conteúdos apresentados, independentemente das suas limitações. Encontra-se aberto de terça-feira a domingo, nos períodos 10:00-13:00 e 14:00-18:00.
DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS | O PODER DOS MUSEUS DA COVILHÃ
20-05-2022

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS | O PODER DOS MUSEUS DA COVILHÃ

O Dia Internacional dos Museus, este ano com o tema das comemorações centrado no slogan “O Poder dos Museus”, foi assinalado no passado dia 18 de maio com diversas ações que decorreram nos museus do concelho da Covilhã. Além de diversas visitas guiadas, o MUSEU DA COVILHÃ recebeu uma tertúlia sobre arte e cultura, com a participação do Professor Doutor António dos Santos Pereira, Comissário Científico do Projeto Museográfico deste espaço cultural. Durante esta discussão informal, intitulada MC2 - Movimentos Culturais Coletivos, além do seu ponto de vista acerca do facto de que “tudo num museu se deve encontrar voltado para o futuro”, António dos Santos Pereira revelou a missão nuclear intuída no Museu da Covilhã e que se prende com o objetivo de o tornar “um Centro Vivo de Cultura com uma presença proativa junto de todos, particularmente dos mais jovens, mas devendo tornar-se recetor de espólios qualificados, que, não cabendo nas atuais instalações, devem apontar aos seus responsáveis um futuro projeto polinuclear que inclua áreas oficinais de património material e imaterial, de exposição e de animação cultural”. A ação contou com a presença da vereadora da Cultura, Regina Gouveia, e de dezenas de espetadores. ➡️ O MUSEU DE ARTE SACRA, em parceria com a Associação Cultural Desertuna, assinalou o Dia Internacional dos Museus com visitas guiadas e interpretativas pela cidade, no âmbito do programa cultural “Brasil na Covilhã”. A iniciativa pretendeu promover e divulgar a história, a cultura e o património local junto da comunidade brasileira que nestes dias visita a cidade.  Estas visitas, desenvolvidas nos dias 18 e 19, vão de encontro com o trabalho formativo que tem vindo a ser desenvolvido pelo Museu de Arte Sacra da Covilhã. O “poder” de contribuir para a preservação da cultura e do património artístico local; o “poder” de educar os diferentes públicos e alertar para a importância dos espaços museológicos; o “poder” de testemunhar a história e a identidade local que garantem uma sociedade civil informada e comprometida. Em suma, o poder transformador dos museus e o seu importante papel na construção de um futuro melhor para todos. ➡️ Também a GALERIA ANTÓNIO LOPES, que tem patente ao público a Bienal de Cerâmica Artística do Museu de Aveiro, até dia 26 de junho, recebeu diversas visitas à galeria e à exposição permanente. ➡️ O MUSEU DO QUEIJO, localizado em Peraboa, celebrou este Dia com a entrada de um novo queijo na loja do Museu: Queijo Pão, um queijo artesanal de excelência, de elevada qualidade e com matérias primas da nossa terra.
CONCERTOS NA GALERIA ANTÓNIO LOPES
19-05-2022

CONCERTOS NA GALERIA ANTÓNIO LOPES

A Galeria António Lopes recebe, no dia 4 de junho, pelas 18:00 horas, um Concerto Romântico pelo Ensemble Independente formado por Carolina Campos Costa (violino), Francisco Viana (contrabaixo) e Hortensia Hierro (piano). O concerto, em que os músicos irão interpretar peças de Bottesini, Chopin, Mendelssohn, Rachmaninoff e White, insere-se nos “Pop-Up Concerts”, um projeto da Associação Intervalo do Tempo, com o apoio do fundo Garantir Cultura. De referir que esta é a segunda ação de 2022 em que esta Galeria recebe a música como mais uma forma de arte, já que, atendendo à personalidade do Professor, a galeria António Lopes alberga uma sala de exposições destinada a novos artistas, artes e talentos. A primeira ação, que se prolonga até ao final de junho (aos domingos, às 16:00 horas), conta com um ciclo de concertos ao piano com a pianista franco brasileira Fernanda Canaud. CAROLINA CAMPOS COSTA (VIOLINO). É natural da Covilhã e iniciou os seus estudos em violino aos 5 anos com o Professor António Oliveira e Silva. Ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, onde concluiu o mestrado em Ensino de Música. Atualmente frequenta o mestrado em Música, na especialidade de violino, na Escola Superior de Artes Aplicadas, em Castelo Branco. Ao longo do seu percurso profissional alcançou diversas distinções, sendo de realçar o Concurso Manuel Ivo Cruz, no qual obteve um 3º prémio (2012) e um 2º prémio e o prémio de melhor interpretação de compositor português (2013). FRANCISCO VIANA (CONTRABAIXO). Nasceu em Lisboa e iniciou os seus estudos de contrabaixo aos 14 anos, com o professor Pedro Wallenstein, depois de ter estudado piano desde os 5 anos. Licenciou-se em Música no Centro Superior Katarina Gurska, em Madrid e concluiu o mestrado na mesma área na Escola Superior de Música de Lisboa. É professor de Formação Musical desde 2012, e de contrabaixo desde 2015. Ao longo do seu percurso teve a oportunidade de trabalhar com grandes mestres do contrabaixo, como Luís Cabrera, Janne Saksala, Yuri Aksenov, Rinat Ibragimov, Vitan Ivanov e Vladimir Kouznetsov. HORTENSIA HIERRO (PIANO). Começou os seus estudos de piano aos 7 anos de idade. Estudou o grau superior com Noelia Rodiles no Centro Superior Katarina Gurska. Em 2020 concluiu o mestrado em Música Contemporânea no Conservatório Superior de Música de Aragón. Atualmente faz parte da equipa de professores do Katarina Gurska Music Center, ministrando aulas de piano e de conjunto. Ao longo da sua jovem carreira, Hortensia tem dado recitais como solista ou como membro de grupos de música de câmara em diversas cidades espanholas, portuguesas, alemãs e holandesas. Associação Intervalo de Tempo: http://www.intervalodetempo.org/