Município da Covilhã
Tlf:. 275 330 600
Jun.25.2022
13-04-2022

COVILHÃ COM MUSEUS ABERTOS NA SEMANA DA PÁSCOA

Durante a semana da Páscoa, o Município da Covilhã irá manter abertos ao público, os seus espaços museológicos no centro da cidade. Para além das exposições permanentes que cada museu acolhe também se encontram patentes três exposições temporárias para visitar gratuitamente.


Galeria António Lopes [rua Portas do Sol]
De terça a dom. 10h-13h e 14h-18h 

Localizada no centro histórico da cidade, a Galeria acolhe a exposição permanente “vida e obra de António Esteves Lopes” que para além dos trabalhos como professor, jornalista, caricaturista e fotografo destaca-se a tapeçaria “Covilhã, cidade fábrica, cidade granja”. 
Na sala de exposições temporárias encontra-se patente ao público, até ao dia 17 de abril, a exposição Design Moda Ubi 2022, com fotografias, vestuário e acessórios de moda elaborados pelos alunos de Design de Moda na UBI. 


Museu da Covilhã [centro]
De terça a dom, 10h-13 e 14h-18h – Entrada Gratuita

O Museu da Covilhã, instalado no edifício de autoria do arquiteto Ernesto Korrodi, onde funcionou o Banco Nacional Ultramarino entre os anos 20 e os anos 80 do século XX, apresenta o território e o património do concelho, desde a Pré-História até à atualidade. Este museu localizado no centro da cidade, permite ter uma visão global da história da cidade e reflexão sobre o futuro com recurso a equipamentos interativos.
O espaço multiusos acolhe, neste momento, a exposição Pintura Portuguesa do Seculo XX, com peças únicas da autoria de Eduardo Malta, Maria Helena Vieira da Silva, Arpad Szenes, Júlio Resende e Malangatana. 


Museu de Arte Sacra [Jardim Público]
De terça a dom, 10h-18h, Entrada Gratuita
 
O Museu encontra-se instalado na Casa Maria José Alçada, um edifício de 1921 projetado por Raúl Lino. Numa área de exposição de 850 m2, o património museológico está repartido por dois edifícios, cujo percurso tem como pedra basilar os 7 sacramentos propostos pela igreja católica – batismo, confirmação, matrimónio, ordem, penitência, eucaristia e unção dos enfermos. Do espólio de mais de 600 peças destacam-se as coleções de pintura, escultura, ourivesaria, paramentaria e figuras de roca que abrangem um período que vai desde o século XII ao século XX.
Na sala de exposições temporárias encontra-se patente ao público, até ao dia 24 de abril, a instalação/exposição O Esteio da Fé dos artistas Ana Tomé, Pedro Estrela e Rosa Estrela.